4 de junho de 2011

Liberte-se

 Muitas pessoas, principalmente mulheres, ainda ficam presas a certos tabus sociais e com pré- conceitos na cabeça.
 Lendo um blog, que não tem nada a ver com o mundo fashion, me senti atentada a postar aqui o depoimento de Ailin Aleixo sobre a mulher e o sexo. Apesar de não falar diretamente de moda é um assunto relacionado ao comportamento social, que não deixa de estar associado a nós, modistas.
Liberte seu espartilho e seja feliz.

Quilometragem livre - mulher rodada é que é bom - De Ailin Aleixo
Mulher que é mulher dá pra quem ela quiser. Aliás, nem perde tempo pensando nisso porque é algo tão natural e simples na sua vida quanto escovar os dentes. Por isso acho patético essas fulaninhas cheias de preocupação, lendo livros e fazendo contas (primeiro encontro, terceiro, décimo segundo?) para descobrir o momento ideal de arriar a calcinha. Saturno e Vênus deverão estar alinhados conspirando para um acontecimento pós-transcendental. Parece que elas são oferendas pra Quetzalcoatl! Acorda, é só sexo! Carnal e pouco asseado como deve ser.Apesar da aparente modernidade, tá cheio de mulher regulada por aí. E não porque não sintam vontade de dar, não: esse motivo é até respeitável. É porque tem medo do que os outros vão falar. Medo do que o cara vai pensar dela, vê se pode. Jamais me preocupei com o que o vizinho ou o porteiro pensam de mim: se eles não tem nada mais importante pra fazer do que vigiar a vida alheia, que vão comer mamão morno. O problema é que nossa sociedade é, feito lençol freático, permeada por um moralismo mais contaminador que dengue e, quando você menos espera, se pega censurando a conduta dos outros igualzinho sua avó jurássica.Um namorado meu, há tempos, precisava de um bom advogado (não me lembro mais pra quê). Indiquei um grande amigo meu. Ele foi ao escritório do cara, curtiu e acabou fechando negócio. Meses depois, vendo o álbum do meu aniversário de 20 e poucos anos, o cidadão teve um surto porque deparou com uma foto minha dando um beijão no meu amigo, agora, seu advogado."Você deu pra ele?!""Ué, dei. Na época, claro.""E ainda diz que é amigo?! Você fica trepando com tudo quanto é amigo, é? E me faz fechar negócio com um cara que te comeu?!"Olha, sinceramente, homem que fica encanado com a vida sexual pregressa da namorada precisa tomar surra de frigideira pra deixar de ser besta. O mais engraçado é que os machos rodados se acham os Tiger Woods do sexo (acertam o buraco cada vez com mais distinção), mas as mulheres viram roupa comprada em brexó? Ah, faça-me o favor. Dou o que é meu e ninguém tem nada a ver com isso. E, aliás, o número de pessoas que passaram pela minha cama não te interessa, não altera a BOVESPA, nem a minha personalidade ou valor. Muda, isso sim, a experiência. O que é, ao meu ver, ótimo: ter referencial é algo valiosíssimo nesses dias de propaganda enganosa...Mas, veja bem: dar pra quem quiser não significa passar o rodo no time de basquete inteiro ou em toda sua turma de amigos, não. Isso é falta de respeito consigo mesma. Porque, como disse Leila Diniz a um babacão que, depois de tomar um sonoro fora, a chamou de vagabunda: "Querido, eu posso dar pra todo mundo, mas não pra qualquer um".Isso é que é mulher.

Blog: elesnaovalemumapipoca.blogspot.com/

31 de maio de 2011

Som português

Pra quem gosta de conhecer novos sons, um pouco de Portugal.

"Acredito que existam muitas maneiras de convidar a Música Moderna Portuguesa a encontrar-se com a sua raiz. Pois que venham elas!”.
DIABO NA CRUZ

30 de maio de 2011

Classe!


 Não é minha intenção vangloriar as cidades européias nesse blog, mas já que atualmente moro em Portugal, será sobre minha realidade que postarei.
  Há um mês fiz uma das minhas melhores viagens durante meu intercâmbio, fui a Londres.  Ao contrário dos outros países, lá fui pra ver a moda que está presente em todos os lados. 
   Para quem aprecia o mundo fashion é impressionante andar pela cidade, todo mundo é muito estiloso, crianças, adolescentes, homens, mulheres e até mesmo senhoras. Minha câmera ficou um pouco tímida, mas a vontade era de fotografar tudo.
 Em meio a tanto estilo uma cena me chamou a atenção e não pude deixar de registrar, mesmo sem ter o blog já queria um post sobre esse assunto.  
   Andando pela London Bridge vi uma garota na minha frente toda linda segurando o salto na mão. Você é linda, tá muito bem vestida, mas com salto na mão? Pra mim, mulher tem que ter classe, se escolhe acordar as seis da manhã e vestir um salto 20 cm mesmo sabendo que o dia vai ser agitado, então ande o dia inteiro sobre ele. No Brasil já tinha visto situações parecidas, mulheres super bem vestidas, cheias de pose, porém  descalças no meio das festas. Se não aguentam um salto então porque os colocam? Se quer ficar confortável na festa ou durante o dia use um sapato que lhe proporcione isso, aguentar ficar em cima de um salto também faz parte do ser ou não estilosa, de ser ou não elegante. Pensem nisso.

Brian Reyes no NYFW-Fall 09

London Bridge- Londres


29 de maio de 2011

Moda ciclística

Nos dias de hoje, ter e andar de carro nas ruas já não é tanto um artigo de luxo. O problema que esse meio causa à sociedade e ao ambiente são grandes, cada vez mais somos controlodos pelo automóvel quando teriamos que ser nós a controla-lo. O veículo particular condiciona a vida do ser humano, e deixa claro a disputa que fazemos todos os dias no espaço urbano pelo status, dinheiro, poder e o desperdício que causamos do espaço, tempo e combustível.
Com tantos problemas relacionado a esse transporte é cada vez mais crescente o uso de bicicletas. Meio vantajoso, estimula nosso pensamento autônomo, transforma indivíduos passivos em ativos, colabora com o meio ambiente, transtornos no trânsito, além de ser saudável e proporcionar maior percepção do espaço em geral. A moda em relação com a sociedade se transfigura nesse contexto. Ir à escola, ao trabalho, encontrar os amigos ou um simples passeio num sábado a tarde, homens e mulheres vestem sua melhor produação
e enfrentam o trânsito das cidades.  

Eidhoven- Holanda
                               No Brasil esse costume está um pouco longe de acontecer já que não faz parte da nossa "cultura", mas nós modistas podemos começar a mudar isso, usar a moda para transformar clichês sociais.


















http://www.thesartorialist.blogspot.com/
















Amsterdam- Holanda

Dicas de blogs de moda ciclistica. http://www.copenhagencyclechic.com/ http://www.barcelonacyclechic.com/ E pra você que não tem noção do quanto gasta de combustível e de quanto CO2 libera todos os dias, um link para calcular seu consumo. http://home.moonlight.pt/acapco2/dgv/pesquisa.asp